Os benefícios de se trabalhar diferentes ritmos de pernada

Ao longo do ano fizemos muita Cuca, Saci, Dedos Duros, utilizamos palmar em um braço com pé de pato no outro lado e vice-versa sempre na busca de despertar em vocês a percepção do movimento.  Devemos desenvolver a nossa consciência corporal porque só assim alcançaremos uma posição ideal do corpo na água e por consequência gerar menos arrasto e menos resistência frontal. Precisamos aperfeiçoar nossa coordenação do nado e aprimorar nossos movimentos propulsivos de pernas e braços em busca da melhor braçada.

Aqui vou falar com vocês um pouco sobre ritmo de perna. Quando vemos um excelente nadador dando suas braçadas em uma prova no Mundial de Piscinas Curtas, por exemplo, não imaginamos que ele está estrategicamente batendo suas pernas e braços de forma ordenada. Pode até parecer que não, mas é verdade e vou mostrar aqui.

Existem diversos ritmos de pernas. Vou destacar aqui três deles: 2×1, 4×1 e 6×1. Cada um desses ritmos é recomendado para um tipo de nado, prova, ou pessoa. O ideal é você buscar a forma mais confortável para você experimentando os diferentes ritmos e conversando com seu técnico, não existe o certo ou  errado, mas sim o melhor ou o pior para cada fim.

Os diferentes tipos de pernada na natação

Perna 2×1

É quando realizamos duas pernadas para um ciclo de braço completo.

Uma forma simples de trabalhar este ritmo de pernada é realizar um chute com a perna contrária do braço simultaneamente quando este entrar na água a frente da cabeça. É o que trabalhamos no Cuca e Saci, por exemplo.

Perna 4×1

Neste caso realizamos quatro pernadas para um ciclo de braço completo. A maneira mais simples de realizar este ritmo de pernas é fazer uma contagem de quatro pernadas iniciando com a entrada da mão a frente da cabeça logo após a respiração. Se você respira para o lado direito, a primeira das quatro pernadas deve ser a perna esquerda, iniciando simultaneamente com a entrada do braço direito à frente da cabeça. O mesmo serve para o lado esquerdo. A quarta pernada deve coincidir com a entrada do braço contrário à frente da cabeça. Assim que você terminar de dar as quatro pernadas haverá um breve momento de pausa das pernas para iniciar o ciclo de pernada novamente assim que terminar a respiração. Neste breve momento de pausa busque uma boa posição para o deslize onde o corpo ficará totalmente paralelo a linha da água (quadril e ombros alinhados com o fundo da piscina)

Perna 6×1

Realizamos seis pernadas para cada um ciclo de braço completo. Uma contagem de seis pernadas deve iniciar com a entrada da mão a frente da cabeça logo após a respiração. Se você respira para o lado direito, a primeira das seis pernadas deve ser a perna esquerda, iniciando simultaneamente com a entrada do braço direito a frente da cabeça. O mesmo serve para o lado esquerdo. Assim que terminarem as seis pernadas você inicia uma nova contagem partindo do mesmo ponto em que começou.

Os benefícios de uma boa coordenação no ritmo de pernada são muitos. Entre os principais podemos colocar:

  • Coordenação correta para o nado crawl promovendo melhor deslize

  • Elevação do quadril diminuindo o arrasto

  • Menor gasto energético durante o nado

  • Diminuição do rolamento do quadril promovendo melhor posição do corpo na água

  • Maior eficiência da pernada promovendo maior propulsão para o nado,

  • Melhor controle de ritmos de nado para se trabalhar estratégias de prova

  • Mais plasticidade deixando o nado mais bonito e eficiente

  • Depois de tudo isso você conseguirá baixar suas melhores marcas pessoais.

No vídeo que relacionei abaixo, você pode observar o nadador variando os ritmos de pernas entre 4×1 e 6×1 durante toda a prova para quebrar o até então recorde mundial naquele ano da prova dos 1500m livre. Anos mais tarde, Sun Yang espantou o mundo nos Jogos de Londres vencendo os 1500m com o Recorde Mundial de 14´31”02 e os 400 livre.

Wanderley Santos